A tabagismo passivo consiste na inalação do fumo proveniente dos cigarros de outras pessoas. Ainda que nem sempre seja encarado com a devida preocupação, a realidade é que o tabagismo passivo pode, de facto, exercer um impacto extremamente nocivo na saúde, dando assim origem a muitos dos problemas que tendem a afectar quem fuma regularmente.

tabagismo passivo

De que forma pode o tabagismo passivo prejudicar a saúde?

Um cigarro em combustão consegue libertar mais de 4 mil substâncias químicas altamente tóxicas que podem facilmente ser inaladas por quem estiver a poucos metros de distância. Essas substâncias destacam-se pela capacidade de comprometer seriamente o funcionamento do sistema cardiovascular e respiratório, bem como aumentar significativamente as probabilidade de desenvolvimento de diversos tipos de cancro.

Ao contrário do que  muitas pessoas pensam, mesmo em pequenas exposições o tabagismo passivo apresenta sérios riscos para a saúde e pode levar ao aparecimento de uma enorme diversidade de problemas. De acordo com diversos estudos efectuados ao longo das décadas, acredita-se que o tabagismo passivo possa provocar exactamente os mesmos problemas de saúde que o tabagismo activo.

O tabagismo passivo é perigoso para qualquer pessoa, mas pode revelar-se particularmente prejudicial durante o período de gravidez, uma vez que apresenta a capacidade de aumentar as probabilidades de morte fetal e parto prematuro, bem como outros problemas relacionados com a qualidade da saúde do bebé. Crianças expostas ao fumo do tabaco apresentam maiores riscos de morte súbita, pelo que, a proximidade com fumadores deve ser evitada ao máximo.

Estima-se que a exposição regular ao fumo do tabaco, ainda que de forma passiva, possa aumentar os riscos de cancro de pulmão até 19%. Para além do aumento das probabilidades de desenvolvimento de cancro, o tabagismo passivo incita o desenvolvimento e agravamento de doenças respiratórias, como é o caso de asma e doença pulmonar obstrutiva.

As probabilidades de desenvolvimento de doenças cardiovasculares também aumentam até 25%, mesmo em pessoas jovens. Até mesmo exposições mais pequenas podem influenciar a coagulação sanguínea, favorecendo assim a ocorrência de tromboses.

Alguns estudos indicam, também, que o tabagismo passivo pode potenciar a perda de visão, uma vez que a exposição às toxinas do fumo tendem a contribuir para a degeneração da retina, afectando assim seriamente a qualidade da visão.

Ainda que estes dados possam parecer assustadores, não deixam de oferecer uma perspectiva perfeitamente realista relativamente a todos os problemas que podem advir da exposição ao fumo do tabaco.

De modo a evitar sérios problemas de saúde é importante que se consciencialize de todos os riscos inerentes ao tabagismo passivo e faça os possíveis para manter distância do fumo do tabaco. Se estiver em ambientes onde estejam presentes fumadores, o ideal é retirar-se, ou afastar-se o máximo possível, de modo a evitar a  inalação das substâncias nocivas do fumo do cigarro. Ao fazê-lo, estará a reduzir drasticamente as probabilidade de vir a desenvolver doenças crónicas do foro respiratório e cardiovascular.

 

Categorias: Saúde

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.